Evo Morales defende pacto para aplicar nova Constituição

LA PAZ - O presidente da Bolívia, Evo Morales, defendeu nesta segunda-feira que os prefeitos (governadores) da oposição se aproximem do governo para discutir um pacto nacional com o objetivo de aplicar a nova Constituição, aprovada no domingo em um referendo popular, segundo resultados extra-oficiais.

Redação com agências internacionais |


"Ouvi (os prefeitos) que querem fazer um novo pacto, o pacto é a Constituição, o pacto é para aplicar a Constituição", declarou Morales, discursando durante a inauguração de uma escola pública na cidade de Cochabamba (centro da Bolívia).

Divulgados os resultados, os prefeitos opositores Rubén Costas (Santa Cruz) e Mario Cossío (Tarija) argumentaram por um novo pacto e pelo diálogo nacional com o presidente, porque, mesmo que o 'sim' ao novo texto constitucional tenha vencido com mais de 58%, sua rejeição foi contundente em quatro regiões.

Nos departamentos de Santa Cruz, Beni, Pando e Tarija, o 'não' à nova Constituição oscilou entre 60 e 65%, enquanto em Chuquisaca, quinta região rebelde, a situação ainda permanecia indefinida.

Alguns membros da oposição declararam que não vão reconhecer o resultado nacional do referendo. Em Sucre, capital de Chuquisaca, a prefeita Savina Cuellar convocou a população a "desacatar" o novo texto constitucional. "Espero que a Corte Nacional Eleitoral faça alguma coisa. Esse não foi um processo transparente. Foi um resultado com fraude", disse.

A vitória de Morales se sustenta, principalmente, pelo voto das regiões andinas de Oruro, La Paz e Potosí, além das áreas rurais de outros departamentos, que o apóiam fielmente.

A nova Carta Magna, que centraliza o poder no Estado federal e beneficia enormemente os setores indígenas da população, deve ser promulgada pelo presidente Morales assim que forem divulgados os resultados oficiais - o que provavelmente ocorrerá no final de semana, já que a contagem dos votos é realizada manualmente.

EUA

Nesta segunda-feira, o governo dos Estados Unidos parabenizou a Bolívia pelo referendo, que, em sua opinião, contribui para o processo democrático.

"Parabenizamos o povo boliviano pelo plebiscito", disse Robert Wood, porta-voz do Departamento de Estado, dirigido pela ex-senadora Hillary Clinton. "Desejamos trabalhar com o governo boliviano para promover a democracia e a prosperidade no continente", completou.

Leia também:


Leia mais sobre Bolívia

    Leia tudo sobre: boliviabolívia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG