Evo Morales: Bolívia aceita ajuda dos EUA se for incondicional

O presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou nesta quinta-feira que seu país aceitará a ajuda econômica dos Estados Unidos sempre que chegar ao país sem condições ou suspeitas de conspiração.

AFP |

"A cooperação não deve ser de conspiração, como era no governo Bush; qualquer cooperação incondicional é bem-vinda para resolver os problemas sociais e econômicos de cooperação", afirmou Morales, após uma breve reunião em La Paz com Thomas Shannon, chefe da diplomacia dos EUA para a região.

Morales denunciou nos últimos meses uma conspiração da direita empresarial e política local, que teria contado com o apoio do embaixador dos EUA, Philip Goldberg, e da agência antidrogas DEA, que foi expulsa do país no ano passado.

A chegada de Shannon ocorre 10 meses depois de sua primeira visita à Bolívia, em meio a uma relação marcada por sobressaltos.

A delegação de Washington está em La Paz desde quarta-feira para melhorar os vínculos bilaterais e discutir com o governo da Bolívia um novo marco de relação bilateral, já que o último data de 1951.

jac/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG