Evo Morales aceita participar de referendo de confirmação

O presidente da Bolívia, Evo Morales, concordou ontem (quinta-feira) em participar de um referendo nacional de confirmação de seu cargo, acreditando que os bolivianos irão reelegê-lo depois de dois anos no poder e, dessa forma, conquistar reforçado apoio às reformas propostas por ele. A primeira vez em que Evo propôs o referendo foi em dezembro, em meio a uma violenta batalha sobre o rascunho da nova Constituição, que daria mais poder à população indígena do país.

Agência Estado |

A idéia parecida esquecida até quinta-feira, quando o Senado - controlado pela oposição - aprovou um projeto de lei pelo qual o referendo deve ser realizado em 90 dias. O presidente prometeu aprovar o projeto. "Se nós, políticos, não conseguimos chegar a um consenso, é melhor que a população decida nosso destino", disse Evo em rede nacional de televisão. Pelo projeto, tanto Evo quanto os nove governadores dos departamentos (Estados) do país serão submetidos a um referendo de confirmação. Todos devem vencer por um porcentual maior do que o que obtiveram quando foram eleitos em 2005. Se conquistarem menos votos, devem deixar o cargo e uma nova eleição será convocada. Os governadores não se pronunciaram sobre o projeto de lei, mas a maioria deles já havia afirmado que participariam da eleição.

    Leia tudo sobre: evo morales

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG