Eurostar abre inquérito para apurar falha em trens

A empresa que administra o trem Eurostar, que liga Londres a Paris e Bruxelas, anunciou a abertura de um inquérito independente para apurar as causas da falha de trens no fim-de-semana que deixou mais de 2.000 passageiros presos no túnel sob o Canal da Mancha.

BBC Brasil |

Alguns trens serão testados nesta segunda-feira depois de terem sofrido modificações técnicas durante a noite, mas os serviços devem permanecer suspensos pelo terceiro dia consecutivo. A possível retomada dos serviços deve ser anunciada à noite.

Mais de 55 mil pessoas tiveram suas viagens canceladas depois que seis trens quebraram. Os administradores do Eurostar dizem que a causa tem sido o frio sem precedentes na França.

"Nós entendemos o quão frustrados e desapontados os viajantes estão, especialmente os que estão esperando para viajar nos últimos dois dias", disse uma nota no website da empresa.

As modificações feitas de última hora nos trens têm o objetivo de impedir a entrada de água na parte elétrica. A operadora diz que até então o equipamento para enfrentar neve foi eficaz durante os 15 anos de existência da ligação ferroviária pelo Eurotunel, mas as temperaturas no norte da França nos últimos dias foram mais baixas do que o registrado anteriormente. E a previsão é de novas nevascas na área nesta segunda-feira.

Mortes
As baixas temperaturas causaram a morte de pelo menos 19 pessoas na Europa, além de provocar o cancelamento de vários voos e de prejudicar o tráfego ferroviário e rodoviário.

Pelo menos 15 das mortes ocorreram na Polônia. No sul da Alemanha, os termômetros chegaram a marcar 33ºC abaixo de zero. O terceiro maior aeroporto do país, em Duesseldorf, foi fechado por causa de uma forte nevasca.

Na Bélgica, os três maiores aeroportos - Bruxelas, Charleroi e Liege - foram fechados. Foram registrados atrasos e cancelamento de voos também no aeroporto de Schiphol, em Amsterdã.

Na França, 40% dos voos que deixam os aeroportos Charles de Gaulle e Orly, em Paris, foram cancelados, quando uma segunda onda de nevascas atingiu o norte do país.

As autoridades na capital russa, Moscou, disseram que estão colocando nas ruas da cidade 9 mil máquinas para retirar a neve das ruas.

Estados Unidos
As cidades no nordeste dos Estados Unidos vivem as consequências de uma forte nevasca que criou uma camada de 70 centímetros de neve na área de Washington, que agora derrete.

A capital americana viu a maior nevasca já registrada em um único dia de dezembro e o Estado de Nova Jérsey, vizinho à cidade de Nova York, viu sua pior tempestade de neve em quase quatro anos.

O país enfrentou uma de suas piores nevascas das últimas décadas, que se estendeu por 800 km atravessando 12 Estados e afetando cerca de um em quatro americanos.

As repartições públicas federais em Washington deverão permanecer fechadas nesta segunda-feira enquanto as ruas são desbloqueadas.

Uma tempestade de neve em Nova York deixou uma camada de 35 centímetros de espessura nas ruas. O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, disse que milhares de funcionários trabalharam na desobstrução das ruas no domingo.

Bloomberg expressou otimismo, dizendo que a neve caiu tarde demais no sábado para afetar muito o comércio natalino.

Virgínia, Maryland, Kentucky e Delaware, assim como Washington e a Filadélfia, chegaram a declarar Estado de emergência.

Cerca de 150 pessoas ficaram presas durante cinco horas em um trem em Long Island.

Aeroportos em Washington, Baltimore e Boston tiveram voos atrasados ou cancelados.

As tempestades também provocaram ventos de até 96 km por hora.

Centenas de milhares de casas chegaram a ficar sem energia elétrica em Tennessee, Kentucky, Virgínia e Carolina do Norte.

Uma grande companhia de transporte rodoviário, Greyhound, cancelou os serviços em quase 300 rotas na costa leste dos Estados Unidos.

Na Virgína, centenas de motoristas ficaram presos em seus veículos e tiveram que ser resgatados pela Guarda Nacional. Cerca de 500 pessoas buscaram ajuda em abrigos de emergência.

Três pessoas morreram na Virgínia. Uma delas foi morta quando o seu carro foi atingido pela queda de uma árvore. A outra morreu de frio e a terceira, aparentemente, pereceu em um acidente rodoviário.

Em Ohio, duas pessoas morreram em acidentes em estradas cobertas pela neve.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG