O Europarlamento proibiu nesta quarta-feira a divulgação, em seu recinto em Estrasburgo (leste da França), do filme Fitna, que traz críticas ao Islã, produzido pelo deputado holandês de extrema direita Geert Wilders.

"Fitna", um curta-metragem que aborda a questão da violência e o islã, motivou protestos e ameaças no mundo muçulmano.

Wilders acusou o Parlamento Europeu de "censura" e falou de "um dia triste para a democracia".

A película mistura imagens violentas de atentados terroristas, execuções em países muçulmanos não identificados, discursos anti-semita de dirigentes iranianos, imagens da islamização da Europa (mesquitas, mulheres vestindo burka) com a leitura de versículos do Alcorão.

csg-mar/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.