Europa perde seus lagartos, tritões e rãs

Os répteis e as rãs estão em perigo na Europa, porque nada vem sendo feito para impedir a destruição de seus hábitats, lamentou nesta quarta-feira a Comissão Europeia.

AFP |

"Mais da metade dos répteis - 59% - e cerca da metade - 42% - dos anfíbios da Europa estão em declínio e mais ameaçados que os pássaros e mamíferos", alarmou-se o comissário do Meio Ambiente, Stavros Dimas, em comunicado.

A Europa abriga 151 espécies de répteis e 85 espécies de anfíbios, algumas delas únicas.

Seis espècies de répteis, notadamente o lagaarto de Tenerife e o das muralhas das Ilhas Eólias assim como as rãs dos Cárpatos e o tritão de Montseny são classificados como espécies em perigo crítico de extinção. Outros, como o sapo de barriga amarela dos Apeninos estão em perigo.

Os Tritões e as Salamandras pertencem à Classe dos Anfíbios, uma palavra de origem grega que significa "vida dupla" - uma referência às fases aquática e terrestre que se alternam ao longo do seu ciclo de vida.

Os anfíbios foram os primeiros vertebrados a viverem fora d'água e representam uma evolução extremamente importante para a biodiversidade dos ecossistemas terrestres; no entanto, ainda dependem dos ambientes aquáticos para a reprodução. Respiram pelos pulmões e através da pele, pelo que esta precisa estar permanentemente úmida e viscosa. Por isso vivem dentro da água ou em ambientes úmidos e muitos deles têm costumes noturnos.

csg/abd/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG