Europa pede que seus líderes estudem boicote à abertura dos Jogos Olímpicos

Bruxelas, 10 abr (EFE).- O Parlamento Europeu (PE) aprovou hoje uma resolução que pede aos líderes da União Européia (UE) que estudem um boicote conjunto à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim, caso as autoridades chinesas não dêem mostras de dialogar para solucionar o conflito do Tibete.

EFE |

O texto, que recebeu 580 votos a favor e 24 contra, pede que a Presidência rotativa da UE, exercida pela Eslovênia, estabeleça uma posição comum sobre a participação ou não dos chefes de Estado e Governo e do Alto Representante, Javier Solana, à cerimônia.

Além disso, especifica que essa posição comum deverá incluir "a opção de não assistir à cerimônia caso não seja retomado o diálogo entre as autoridades chinesas e o dalai lama".

O presidente da Câmara, Hans-Gert Pöttering, destacou após a votação a "quase unanimidade" do PE sobre o texto, e confiou em que os governantes europeus percebam a importância da mensagem.

A resolução deplora a "brutal repressão" das forças de segurança chinesas contra os manifestantes tibetanos e pede uma investigação das Nações Unidas sobre o ocorrido nos recentes protestos, assim como o acesso de diplomatas e jornalistas estrangeiros à região.

Além disso, elogia os pedidos de protesto não violento feitos pelo dalai lama e sua aposta por uma solução ao conflito baseada na autonomia.

O Parlamento Europeu, lembra o projeto de declaração, espera receber o líder tibetano em uma sessão solene este mesmo ano.

As emendas aprovadas hoje ao texto pedem a "libertação imediata" de todos os manifestantes pacíficos detidos no Tibete pelas autoridades chinesas. EFE mvs/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG