Eurodeputados pedem à Rússia respeito a cessar-fogo na Geórgia

Bruxelas, 20 ago (EFE).- Os eurodeputados que participaram hoje da sessão extraordinária do Parlamento Europeu sobre o conflito na Ossétia do Sul pediram à Rússia que respeite de forma total o acordo de cessar-fogo e a integridade territorial da Geórgia.

EFE |

No debate, realizado de forma conjunta pela comissão de Exteriores, pela subcomissão de Segurança e Defesa e pela delegação parlamentar para o Cáucaso, se enviou uma clara mensagem de apoio a Tbilisi, além de críticas à atuação de Moscou.

Grande parte dos parlamentares consideraram que, enquanto a Rússia não cumprir com seus compromissos internacionais, a UE não poderá manter a relação que tinha até agora com Moscou.

A ministra de Exteriores georgiana, Eka Tkeshelashvili, que compareceu perante a Câmara, foi além, e pediu aos 27 países-membros que suspendam sua cooperação com a Rússia caso o Kremlin não retire suas tropas às posições que tinham antes da explosão do conflito.

Além disso, pediu à UE que atue "no terreno", uma idéia apoiada pelos eurodeputados, que pedirão aos Estados-membros o envio de observadores à Geórgia e, posteriormente, de uma missão de paz, segundo assegurou aos jornalistas o presidente da comissão de Exteriores, Jacek Saryusz-Wolski.

"O conflito na Geórgia vai pôr a toda prova a seriedade do compromisso da UE e do resto do mundo ocidental com o Cáucaso", assegurou o deputado.

Na sua opinião, "agora, mais que nunca, é crucial que a UE alcance uma postura unânime, que se comprometa totalmente para conseguir uma solução pacífica e sustentável ao conflito e que participe ativamente no processo de reconstrução".

Os grupos políticos do Parlamento Europeu devem trabalhar durante a próxima semana em um texto de resolução, que seria votado em sessão plenária no início de setembro, na primeira mensagem oficial da Casa sobre a crise.

Além disso, a Eurocâmara poderia enviar uma nova missão à zona, para comprovar como evolui a situação no terreno.

A primeira delegação, presente na Geórgia entre 12 e 17 de agosto, pediu hoje à UE que envie com urgência forças para a manutenção da paz na zona, seja através da Organização para a Cooperação e a Segurança na Europa (Osce) ou das Nações Unidas.

Segundo a deputada Marie Anne Isler Béguin, os soldados russos hoje "se permitem tudo, percorrem comodamente a chamada zona de segurança, e praticam destruição, pilhagem e intimidação".

Os parlamentares do Partido Popular Europeu (PPE) Elmar Brok e Othmar Karas, que chegaram hoje da Geórgia, asseguraram que a estratégica cidade de Gori (70 quilômetros ao noroeste de Tbilisi) "parece uma cidade fantasma".

Segundo eles, as tropas russas "não dão a impressão de estar em retirada", apesar de a Comissão Européia ter assegurado hoje que a segurança na zona "melhora dia após dia", o que vem facilitando a distribuição de ajuda humanitária.

Para a UE, as prioridades imediatas são o respeito ao cessar-fogo e ao acordo de paz; a assistência humanitária e a supervisão da situação, reforçada através do envio de novos observadores da Osce, explicou o secretário de Estado de Assuntos Europeus francês, Jean-Pierre Jouyet, em nome da Presidência.

Após participar de uma sessão a portas fechadas com os eurodeputados, Jouyet assinalou que, a médio prazo, o objetivo europeu é que haja uma resolução das Nações Unidas já nos próximos dias para que, a partir dela, se veja como é possível seguir colaborando. EFE mvs/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG