EUA vinculam serviço de espionagem paquistanês a ataque de Cabul em julho

Nova York, 1 ago (EFE).- Os serviços de inteligência dos Estados Unidos concluíram que membros da espionagem paquistanesa ajudaram no ataque terrorista contra a embaixada da Índia em Cabul no dia 7 de julho, informaram fontes governamentais deste país citadas hoje pelo jornal The New York Times.

EFE |

"A conclusão se baseia em mensagens interceptadas e mantidas entre agentes de inteligência paquistaneses e militantes que realizaram o ataque", publica o jornal, que afirma que isto prova de forma clara que "membros da espionagem do Paquistão estão prejudicando os esforços americanos para combater os militantes na região".

O mesmo jornal cita fontes dos EUA que afirmaram que havia "novas informações" que indicam que agentes dos serviços de informação do Paquistão ISI deram detalhes sobre a campanha americana contra estes grupos terroristas, o que "em alguns casos lhes permitiu evitar os ataques com mísseis dos EUA nas áreas tribais" do país asiático.

As complicadas e complexas relações entre Washington e Islamabad foram afetadas pelo papel desempenhado pelo poderoso serviço de espionagem do Paquistão, o que também aumenta as tensões com seu vizinho e rival Índia. EFE emm/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG