EUA vêem com bons olhos presença do Irã em conferência sobre Afeganistão

Washington, 26 mar (EFE).- Os Estados Unidos disseram hoje que a participação do Irã na conferência de Haia sobre o Afeganistão é um gesto bem-vindo, mas, ao mesmo tempo, voltaram a descartar reuniões significativas entre a secretária de Estado, Hillary Clinton, e a delegação iraniana.

EFE |

Nesta quinta-feira, o Irã confirmou que aceitou o convite para participar da reunião ministerial sobre o futuro do Afeganistão, marcada para a próxima terça-feira na cidade holandesa de Haia.

Porém, Teerã ainda não disse que representante enviará ao encontro.

O porta-voz adjunto do Departamento de Estado americano, Gordon Duguid, destacou que Washington ainda não foi notificado oficialmente da participação do Irã na conferência, mas afirmou que, "se for assim, este é um gesto bem-vindo", porque os EUA querem que "seja uma conferência regional", que ficaria "incompleta" sem o país.

"Os iranianos nem sempre desempenharam um papel a favor do Afeganistão. Esperamos que sua participação seja uma demonstração de que planejam ter um papel positivo em relação aos afegãos", acrescentou o porta-voz.

Duguid explicou que a cooperação do Irã com os EUA e a comunidade internacional no Afeganistão terminou "poucos dias após a intervenção" americana nesse país.

Em 5 de março, quando estava em Bruxelas, Hillary propôs a seus colegas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) que realizassem a conferência da próxima semana, apoiada pela ONU, e que esperava que o Irã fosse convidado por ser um país vizinho ao Afeganistão.

Essa oferta de Washington foi interpretada como um novo sinal de que o Governo do presidente Barack Obama desejaria forjar um novo entendimento com Teerã. Porém, hoje, Duguid reiterou que "não há reuniões significativas planejadas com funcionários iranianos neste momento".

Na opinião dos EUA, a conferência tratará do futuro do Afeganistão e tentará um consenso regional em relação ao país.

"Não é uma conferência sobre as relações entre americanos e iranianos (...). É uma tentativa de envolver todos os vizinhos do Afeganistão no processo para ajudar a estabilizar este país", frisou o porta-voz.

"Os iranianos estarão à mesa. Falarão. Nós os ouviremos, tomaremos conhecimento de seu ponto de vista e eles também ouvirão o nosso, num debate sobre o Afeganistão", destacou o funcionário.

Na conferência, Hillary estará acompanhada do representante especial de Washington para o Afeganistão e o Paquistão, Richard Holbrooke. EFE ca/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG