Por Paul Eckert WASHINGTON (Reuters) - Os esforços dos Estados Unidos para impor sanções à Coreia do Norte através da Organização das Nações Unidas (ONU) por causa do teste nuclear de maio estão ganhando apoio de países e bancos, disse nesta quinta-feira um diplomata norte-americano.

O embaixador Phil Goldberg, coordenador dos Estados Unidos para a implementação de resoluções do Conselho de Segurança da ONU, afirmou que a pressão por controles financeiros e por inspeções a navios norte-coreanos em busca de armas ilegais está ganhando apoio cada vez mais amplo.

"Nós conseguimos um grande apoio em cinco dos seis participantes das negociações, no Conselho de Segurança da ONU, nas Nações Unidas, e em organizações regionais", disse a repórteres.

Goldberg afirmou que o objetivo das sanções é fazer a Coreia do Norte desistir do programa de armas nucleares, conforme já havia prometido nas negociações, que envolvem seis países --China, Japão, as duas Coreias, Rússia e Estados Unidos.

"Há um caminho claro para a Coreia Norte, se ela quiser reiniciar o processo. Caso contrário, essas medidas continuam, e continuarão até que haja passos irreversíveis" em direção ao desarmamento nuclear, falou o diplomata.

Goldberg visitou China, Malásia, Rússia e a ONU para discutir a implementação das sanções. Ele afirmou que fará uma viagem semelhante neste mês a Cingapura, Tailândia, Coreia do Sul, Japão e possivelmente China.

Durante as visitas, os Estados Unidos apresentaram para governos e autoridades bancárias suas suspeitas sobre transações financeiras da Coreia do Norte.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.