EUA vão tirar sua base militar do Equador antes de novembro

Quito, 13 jan (EFE).- O posto militar antinarcóticos que os Estados Unidos mantêm há dez anos na base de Manta, no oeste do Equador, sairá desse lugar em novembro próximo ou até antes, assegurou hoje a embaixadora americana em Quito, Heather Hodges.

EFE |

A diplomata lembrou que o presidente equatoriano, Rafael Correa, não renovou o convênio para que essa unidade militar permaneça em Manta e solicitou sua retirada.

A unidade foi instalada no Equador após um polêmico acordo que cedeu uma parte do aeroporto da cidade litorânea de Manta para que se instalasse o posto militar dos EUA, com a única missão de controlar o narcotráfico na região.

"Tenho certeza que termina nossa estadia em novembro", frisou Hodges, que disse ainda que o Governo equatoriano pediu que saíssem e respeitassem a decisão de Quito.

O presidente equatoriano solicitou a retirada do EUA de Manta por considerar que essa unidade americana não representou um benefício para seu país e, além disso, porque presume que a base foi usada para outros fins.

O Governo equatoriano suspeita que a base americana apoiou uma missão colombiana, em março passado, em território do Equador, contra um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). EFE fá/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG