O vice-presidente americano Joseph Bidem declarou nesta sexta-feira que os Estados Unidos serão mais exigentes com Bagdá sobre a aplicação das reformas políticas no Iraque.

Os dirigentes iraquianos "ainda não tomaram medidas juntos" para tocar as reformas políticas, ressaltou o vice-presidente americano, que viaja ainda hoje a Munique para participar de uma conferência sobre a segurança.

"Nossa administração terá que se envolver muito, e não apenas para respeitar o compromisso que assumimos de retirar nossas tropas de forma responsável", acrescentou Biden em discurso diante de parlamentares democratas em Williamsburg (Virginia, leste dos EUA).

O vice-presidente elogiou a organização das eleições provinciais da semana passada no Iraque, que mostraram, segundo ele, progressos na evolução política do país.

Contudo, os Estados Unidos também deverão ser "mais exigentes" com os iraquianos, para que eles trabalhem mais nas questões políticas, afirmou.

Biden, que já foi presidente da comissão das Relações Exteriores do Senado, deve pronunciar um discurso na conferência de Munique. O general David Petraeus, chefe das operações americanas no Afeganistão e no Iraque, também integra a delegação.

Durante a primeira semana de sua presidência, Barack Obama pediu aos dirigentes da Defesa que planejassem uma retirada "responsável" das tropas de combate do Iraque em 16 meses.

O comando americano no Iraque teme que uma retirada rápida demais ameace os benefícios obtidos em matéria de segurança, num momento em que o país se prepara para várias eleições.

lal/yw/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.