EUA, UE e ONGs criticam condenação de ativista chinês

Estados Unidos, União Européia (UE) e entidades de defesa dos direitos humanos criticaram ontem a condenação a três anos e meio de prisão do ativista chinês Hu Jia, acusado de subversão por ter escrito artigos e concedido entrevistas com ataques à situação dos direitos humanos em seu país. O advogado de Hu, Li Fangping, afirmou que seu cliente é inocente.

Agência Estado |

Li considerou a pena extremamente dura e disse que estuda a possibilidade de apelar da sentença.

Considerado o maior ativista de direitos humanos da China, Hu Jia foi preso em dezembro de 2007, depois de ter sido mantido em prisão domiciliar por períodos intermitentes desde 2006. O ativista escreveu vários artigos críticos ao governo da China e deu entrevistas a veículos estrangeiros manifestando suas posições. Em setembro do ano passado, ele escreveu com o advogado Teng Biao o documento "A China Real e as Olimpíadas", no qual apresentava uma série de violações de direitos humanos no país.

As entidades de defesa dos direitos humanos afirmam que a condenação de Hu Jia faz parte de uma onda de aumento da repressão no período que antecede os Jogos Olímpicos com o objetivo de calar vozes dissidentes dentro da China. "Hu Jia só está na prisão por causa da Olimpíada", disse Nicholas Bequelin, pesquisador da Human Rights Watch em Hong Kong. Mark Allison, pesquisador da Anistia Internacional, afirmou que a condenação é uma tentativa de intimidar outros ativistas chineses, além de representar um descumprimento da promessa chinesa de melhoria da situação dos direitos humanos no país antes da Olimpíada.

As embaixadas dos Estados Unidos e da União Européia em Pequim condenaram a decisão. Antes da sentença ser anunciada, a União Européia afirmou que o julgamento de Hu Jia representava uma violação ao direito fundamental de liberdade de expressão. A entidade sustentava que o ativista chinês não havia cometido nenhum crime, mas apenas manifestado sua opinião crítica ao governo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG