EUA: Transferência de Assange para Guantánamo é 'fantasia'

Porta-voz nega versão de que fundador do Wikileaks possa ser entregue aos EUA se for extraditado para Suécia

EFE |

O porta-voz do Departamento de Estado americano, Philip J.Crowley, qualificou neste sábado de "pura fantasia" a alegação de que o fundador do Wikileaks, Julian Assange, seria transferido para Guantánamo (Cuba) se fosse extraditado para os Estados Unidos.

AFP
Defesa diz que, se for extraditado para a Suécia, Assange corre o risco de ser entregue aos EUA
Crowley usou o Twitter para desvirtuar a alegação da defesa de Assange de que ele seria transferido ao centro penal da base americana em Cuba se fosse extraditado em decorrência do vazamento de milhares de documentos secretos do governo dos EUA.  "É pura fantasia. Deixe para os filmes", disse Crowley no Twitter, sem entrar em mais detalhes sobre a situação de Assange, que é de origem australiana.

A defesa de Assange detalhou no último dia 11 alguns dos argumentos que serão apresentados no dia 7 de fevereiro na audiência judicial sobre a extradição do fundador do Wikileaks à Suécia, país que o reivindica por supostos crimes de agressão sexual. O advogado Geoffrey Robertson, que representa Assange, acusou as autoridades suecas de quererem realizar o processo para castigá-lo por razões políticas.

Segundo Robertson, há um "risco real" de que se Assange for entregue à Suécia acabe sendo transferido para os EUA e levado para Guantánamo. "Se Assange for entregue aos EUA, sem garantias de que a pena de morte não será aplicada, há um risco real de que possa ficar sujeito a pena de morte", indicou Robertson. Recentemente, a imprensa destacou a produção de vários projetos em torno de Assange e seu polêmico vazamento de milhares de documentos diplomáticos através do site Wikileaks.

    Leia tudo sobre: assangewikileaksvazamentossuécia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG