EUA transferem suspeito de terrorismo à Justiça civil

Washington, 27 fev (EFE).- As autoridades dos Estados Unidos transferiram aos tribunais civis a custódia de Ali Saleh Kahlah al Marri, suspeito de integrar a rede terrorista Al Qaeda, informou hoje a Casa Branca.

EFE |

Al Marri, de nacionalidades da Arábia Saudita e do Catar e residente legal nos Estados Unidos, estava detido em uma prisão da Marinha nos arredores de Charleston, na Carolina do Sul, há mais de cinco anos, quando o então presidente George W. Bush declarou-o combatente inimigo.

Em um memorando enviado ao secretário de Defesa, Robert Gates, e publicado hoje, o presidente americano, Barack Obama, reverte a decisão de Bush e indica que Al Marri deve ser transferido ao controle do Departamento de Justiça para que se abra um julgamento penal contra ele.

O suspeito, de 43 anos, será transferido agora a uma prisão civil em Peoria, no Illinois, à espera de ser julgado por apoiar a Al Qaeda e conspirar com outros para apoiá-la.

Caso seja declarado culpado, Al Marri pode ser condenado a até 15 anos de prisão por cada acusação.

Dois dias após assumir a Presidência, Obama ordenou a revisão do caso deste detido, o único preso classificado como combatente inimigo em solo americano. EFE mv/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG