EUA tentarão por todos os meios libertar jornalistas condenadas

Washington - O governo americano assegurou hoje que tentará por todos os meios conseguir a libertação das duas jornalistas americanas condenadas a 12 anos de trabalhos forçados por entrar de maneira ilegal no país.

EFE |

"Estamos comprometidos a assegurar sua libertação por todos os canais possíveis", assegurou o porta-voz do Departamento de Estado, Ian Kelly, em comunicado.

Kelly disse que o governo americano está "profundamente preocupado" e está tentando confirmar com as autoridades da Coreia do Norte a informação que antecipou a agência estatal norte-coreana "KCNA", após quatro dias de julgamento a portas fechadas.

"Vimos as notícias de imprensa sobre o veredicto e estamos trabalhando para confirmá-los com as autoridades norte-coreanas", explicou Kelly, que transmitiu o apoio do governo americano às famílias de Euna Lee e Laura Ling.

"Nossos pensamentos estão com as famílias das duas jornalistas detidas nestes momentos difíceis", disse Kelly.

Apelando a motivos humanitários, o porta-voz urgiu à Coreia do Norte a que garanta a libertação imediata das duas jornalistas americanas.

O máximo tribunal da Coreia do Norte julgou sob acusação de "atos hostis" e "entrada ilegal" no território as duas comunicadoras, que foram condenadas a 12 anos de trabalhos forçados.

Leia mais sobre: Coreia do Norte

    Leia tudo sobre: coréia do nortecoréia do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG