EUA têm plano de ataque contra o Irã, mas não desejam usá-lo

Governo americano prioriza a estratégia diplomática e de sanções com o Irã, mas não deixa de fora a opção militar

EFE |

Um alto comando do Pentágono disse neste domingo que os Estados Unidos contam com um plano de ataque contra o Irã em caso de ser necessário para evitar que o país asiático construa uma arma nuclear, mas prefeririam não ter de usá-lo.

O chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas dos EUA, o almirante Mike Mullen, confirmou em entrevista no programa dominical "Meet the Press", da rede de televisão "NBC", que o governo dispõe de um plano que foi preparado nos últimos meses.

O governo americano deixou claro que prioriza a estratégia diplomática e de sanções com o Irã, mas nunca deixou de fora a opção militar, segundo advertiu Mullen. "As opções militares estiveram sobre a mesa e seguem estando", assinalou o funcionário na entrevista.

Afirmou, no entanto, que "espera que não tenhamos de chegar a esse ponto, mas é uma opção importante e é uma questão que é bem entendida" por Teerã.

Perguntado se o Exército dispõe de um plano de ataque contra o Irã, o chefe do Estado-Maior Conjunto respondeu, "sim, temos". Mullen disse que a decisão de um eventual ataque militar teria de ser tomada pelo presidente Barack Obama.

    Leia tudo sobre: irãEUA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG