EUA têm maior corte de empregos dos últimos 34 anos

Os Estados Unidos registraram em novembro o corte de 533 mil vagas no mercado de trabalho, a maior redução mensal dos últimos 34 anos, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira pelo Departamento do Trabalho. Com o resultado do último mês, a taxa de desemprego no país subiu para 6,7%, a mais alta dos últimos 15 anos.

BBC Brasil |

Em outubro, o índice era de 6,5%.

O Departamento do Trabalho americano informou ainda que novembro foi o 11º mês consecutivo com corte do número de vagas de trabalho.

Os novos dados não incluem ainda os enormes cortes anunciados nesta semana por grandes companhias americanas como a AT&T.

A grande redução de vagas no mercado de trabalho em novembro ocorre depois de outros dois meses de grandes cortes: 403 mil vagas foram cortadas em setembro e 320 mil em outubro.

Segundo o Departamento do Trabalho, desde o início da recessão americana em dezembro de 2007, o número de desempregados aumentou em 2,7 milhões e a taxa de desempregou subiu 1,7 ponto percentual.

Sem volta
O número pessoas desempregadas nas últimas 27 semanas ou mais permaneceu estável: 2,2 milhões em novembro. Mas aumentou em 822 mil nos últimos 12 meses, de acordo com o órgão do governo americano.

Entre os desempregados, o número de pessoas demitidas e que não esperam ser chamadas de volta aumentou em 298 mil - para 4,7 milhões - em novembro. Nos últimos 12 meses, este grupo aumentou em 2 milhões.

Segundo o correspondente econômico da BBC Andrew Walker, para muitos analistas, o número de 533 mil vagas a menos no mercado de trabalho foi chocante. Os dados divulgados nesta sexta-feira são bem piores do que os mercados financeiros esperavam.

Alguns economistas já afirmam que o número sugere que a recessão nos Estados Unidos deverá ser pior do que eles temiam, de acordo com Walker.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG