EUA têm 65 casos confirmados de gripe suína; Obama pede US$ 1,5 bi ao Congresso

A mobilização contra a epidemia de gripe suína, que atingiu 65 pessoas até agora nos Estados Unidos, continuava nesta terça-feira, com o presidente Barack Obama pedindo 1,5 bilhão de dólares ao Congresso.

AFP |

"Por medida de precaução, estou pedindo ao Congresso a inclusão no orçamento para 2009, que enviei este mês, de uma quantia adicional de 1,5 bilhão de dólares para melhorar a capacidade de nossa nação de responder a uma eventual propagação deste foco", indicou Obama em uma carta ao Congresso lida pelo porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs.

As autoridades sanitárias registraram 65 casos nos EUA, espalhados por todo o país: 45 em Nova York (nordeste), dez na Califórnia (oeste), seis no Texas (sul), dois no Kansas (centro), um em Ohio (norte) e um em Indiana (norte).

Neste último estado, as autoridades destacaram que o paciente não visitou o México, epicentro da epidemia, ao contrário dos outros doentes.

Esse paciente "não foi recentemente ao México. O que, de fato, é um caso único," indicou à AFP a porta-voz do departamento de Segurança Interna de Indiana, Rachel Meyer.

Os Estados Unidos ocupam uma posição determinante na evolução da doença, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), que explicou que a descoberta de casos de gripe suína neste país em pessoas que não visitaram o México justificaria a passagem à fase 5 de alerta pandêmico, cujo grau máximo é seis.

O diretor dos Centros de Doenças e de Prevenção (CDC), Richard Besser, alertou nesta terça-feira que a doença poderá provocar mortes nos Estados Unidos.

Na Califórnia, as autoridades investigam as causas de duas mortes que poderiam ser as primeiras causadas pela gripe suína nos Estados Unidos. A Califórnia faz com o México uma das fronteiras mais movimentadas do mundo. No país vizinho o vírus pode ter causado 152 mortes.

Diante da ameaça, o governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, proclamou estado de emergência. O estado de emergência sanitário já havia sido proclamado no domingo em nível federal.

Em Nova York, as autoridades estimam que centenas de pessoas podem estar contaminadas, mas também acreditam que o vírus não é mais perigoso que o da gripe comum.

"Isto se parece com a gripe que ataca a cada ano", declarou o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg. "Todos os nova-iorquinos que tiveram a gripe suína diagnosticada estão prestes a receber alta", disse durante uma entrevista coletiva.

Uma mulher e uma criança de dois anos foram hospitalizadas, mas estão fora de perigo, informou o prefeito.

O diretor dos serviços de saúde da cidade, Thomas Frieden, indicou que quase todos os casos confirmados são provenientes da uma mesma escola, onde haveria "centenas de crianças infectadas, assim como vários funcionários".

No entanto, essas pessoas não foram incluídas no registro oficial porque os sintomas são leves e todos parecem estar em fase de cura.

Doze alunos estão com febre em uma outra escola situada nas imediações, indicou Frieden.

Dos 33 estudantes que estão em Nova York para um programa de intercâmbio com essa escola, dois deles, além de um professor, apresentaram os sintomas gripais na semana passada, mas foram tratados e "passam bem", segundo o cônsul da França em Nova York.

bar/dm/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG