EUA suspendem concessão de vistos em Honduras

TEGUCIGALPA - O atual presidente de Honduras, Roberto Micheletti, disse à missão de chanceleres da Organização dos Estados Americanos (OEA) nesta terça-feira que, em 29 de novembro, haverá eleições no país. Isso ocorre ao mesmo tempo em que os EUA anunciam a suspensão dos serviços de concessão de vistos em Honduras.

Redação com agências internacionais |

"Haverá eleições, reconheçam os países do mundo ou não", disse Michelleti, sobre a votação hondurenha que, de acordo com ele, deve acontecer no fim de novembro deste ano.

Em contrapartida, os Estados Unidos comunicaram que, a partir desta quarta-feira, seu serviço de concessão de vistos em Honduras, com exceção de casos emergenciais. A decisão tem o objetivo de favorecer uma saída negociada para a crise, depois do golpe de Estado que depôs o presidente Manuel Zelaya, de acordo com o Departamento de Estado norte-americano.

Como apoio à atual missão de chanceleres da região em Tegucigalpa, o Departamento de Estado decidiu "revisar totalmente a política de vistos em Honduras", ressalta o governo dos EUA no comunicado.

"Como parte dessa revisão, vamos suspender os serviços de vistos que não sejam urgentes, para os não-imigrantes, na seção consular de nossa embaixada em Honduras, a partir de 26 de agosto", indica o texto.

"Acreditamos firmemente que uma solução negociada é a forma apropriada para se avançar e que o Acordo de San José é a melhor solução", conclui o documento.

(Com informações da EFE e da AFP)

Leia também:

Leia mais sobre Honduras

    Leia tudo sobre: crise políticagolpehonduras

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG