EUA: sobe para 3 o número de policiais mortos em Pittsburgh

(Atualiza com número final de mortos e entrevista coletiva de chefe de Polícia) Washington, 4 abr (EFE).- O chefe de Polícia da cidade americana de Pittsburgh, Nate Harper, confirmou hoje que um homem armado matou três dos cinco policiais que atenderam a um chamado por causa de uma briga doméstica.

EFE |

"Consideramos todos nossos oficiais como familiares, e estamos de luto como se o fossem", disse Harper durante uma entrevista coletiva, na qual também disse nunca esperar "que este tipo de violência ocorreria" em Pittsburgh.

O chefe de Polícia disse que o atirador, identificado como Richard Poplawski, de 23 anos, usava um colete à prova de balas e portava um fuzil AK-47, uma pistola e "muita munição".

O suspeito se entregou às autoridades após um confronto de quase quatro horas com policiais e será acusado por homicídio, entre outros delitos.

Segundo Harper, Poplawski sofreu lesões em uma das pernas e está recebendo tratamento médico.

De acordo com as primeiras informações, o atirador começou a disparar a partir de uma porta quando os agentes chegaram à casa e depois passou a atirar de uma janela.

Aparentemente, foi a mãe de Poplawski que chamou a Polícia.

A cena do crime foi isolada e algumas casas do entorno foram evacuadas devido à troca de tiros entre o atirador e os policiais.

Segundo Harper, os agentes mortos no confronto foram Paul Sciullo III, Stephen Mayhle e Eric Kelly, este último há 14 anos como policial da cidade e que estava terminando seu turno quando decidiu ajudar seus companheiros.

Os dois policiais que ficaram feridos são Brian Jones e Timothy McManaway.

O chefe de Polícia disse que a investigação continua, mas que ainda se desconhece o motivo do crime, ocorrido por volta das 7h locais (8h de Brasília).

Harper disse que a casa onde Poplawski morava já havia sido alvo de reclamações no passado. EFE mp/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG