EUA se reúnem com Coréia do Norte para avançar em programa nuclear

Washington, 7 nov (EFE) - Altos funcionários do Departamento de Estado dos Estados Unidos se reuniram com o diretor-geral para assuntos americanos da Coréia do Norte, Li Gun, para analisar os aspectos pendentes da desnuclearização desse país.

EFE |

O secretário de Estado adjunto para o Leste da Ásia e o Pacífico, Christopher Hill, e o responsável em temas coreanos do Departamento de Estado, Sung Kim, mantiveram separadamente encontros com Li Gun em Nova York, disse hoje o porta-voz adjunto do Departamento de Estado americano Robert Wood em sua entrevista coletiva diária.

Hill, o principal negociador dos Estados Unidos nas conversas sobre a desnuclearização da Coréia do Norte, jantou quinta-feira à noite com a delegação norte-coreana e depois se reuniu com Li Gun, com o qual debateu o protocolo de verificação, a assistência energética e o desmantelamento das instalações nucleares.

Sung Kim também se reuniu com o diretor-geral do Ministério norte-coreano de Exteriores para a América do Norte, com quem tratou de diferentes assuntos relacionados com o programa nuclear em reunião pela manhã e em uma sessão de trabalho pela tarde, segundo relatou Wood.

"As conversas foram substanciais, sérias e se centraram, logicamente, em como impulsionar o processo de desnuclearização dentro das negociações de seis lados" entre as duas Coréias, Rússia, Japão, China e EUA, explicou o porta-voz.

Em outubro, os Estados Unidos eliminaram a Coréia do Norte da lista de países patrocinadores do terrorismo, depois que Pyongyang concordou em cooperar plenamente no processo de verificação de seu programa nuclear e a abrir suas instalações à inspeção internacional.

O próximo passo será fixar uma data para a próxima reunião dos responsáveis das conversas de seis lados.

A China, que preside este processo, deve convocar a reunião de delegados.

Nesse encontro, os aliados dos EUA devem aprovar o acordo que fechou com Pyongyang e transferir os termos do pacto e da verificação em um documento oficial. EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG