EUA se dizem preocupados com discursos agressivos na A.Latina

Lima, 9 abr (EFE).- O Governo de Estados Unidos está preocupado com os discursos agressivos e os militarismos excessivos em alguns países da América Latina, mas busca fortalecer suas relações na região, afirmou hoje em Lima o secretário de Estado adjunto dos EUA para a América Latina, Arturo Valenzuela.

EFE |

Em visita oficial ao Peru, ele enfatizou que a viagem, que também o levou ao Equador e à Colômbia, corresponde ao interesse americano de "ter uma relação excelente com todos os países da região".

"Alguns criticarão o que dizemos, mas o que estamos buscando é fortalecer as relações com todos os países da região. Todos estamos preocupados com o mesmo: como melhorar as condições de vida, como consolidar e fortalecer nossas instituições. E obviamente estamos preocupados com discursos agressivos", comentou.

Valenzuela, que tinha se reunido pouco antes com o chanceler peruano, José Antonio García Belaúnde, disse à imprensa que os EUA também estão preocupados "com militarismos excessivos, como compras (de armas)" na América Latina.

O secretário de Estado adjunto reconheceu, no entanto, que na América "houve uma queda nas despesas bélicas" após o fim da Guerra Fria, e disse que fatos como o acordo de paz assinado em 1998 entre Peru e Equador "foram muito importantes nesse sentido".

"O que temos de privilegiar é como podemos seguir adiante reduzindo as despesas em defesa", ressaltou. EFE dub/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG