Washington, 14 out (EFE).- A Corte Suprema dos EUA anunciou hoje que prosseguirá com o processo de execução de um réu no estado da Geórgia, que havia sido adiado após receber votos de clemência do papa Bento XVI e do arcebispo Desmond Tutu, Prêmio Nobel da Paz em 1984.

O Supremo retoma assim o curso legal da execução de Tróia Davis, de 39 anos, duas semanas após adiá-la para examinar seu recurso de apelação.

A execução foi suspensa temporariamente em 23 de setembro, mas a Corte Suprema disse hoje que se deverá fixar uma nova data.

Davis está condenado pelo assassinato de um policial em 1989, mas vozes como o ex-presidente Jimmy Carter mobilizaram-se para solicitar um novo julgamento pelas dúvidas sobre sua culpabilidade.

Os advogados de Davis afirmaram durante o julgamento que se tratava de um caso de identidade equivocada.

Além disso sete das nove testemunhas que compareceram para depor contra o réu retiraram seu depoimento e disseram ter sido pressionados pela Polícia.

Quatro destas mesmas testemunhas afirmaram depois que outro homem, identificado como Sylvester Coles, era o assassino confesso do policial.

a Corte Suprema da Geórgia rejeitou duas vezes seu pedido de um novo julgamento, e a Junta de Perdões rejeitou sua solicitação de clemência no mês passado após examinar novamente o caso. EFE elv/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.