Washington, 20 mai (EFE).- O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos reportou hoje duas novas vítimas mortais no país por causa da gripe suína, com o que as mortes já chegam a oito, e informou que os doentes pelo vírus AH1N1 subiram para 5.

710.

Uma mulher de 57 anos que vive no Arizona e um homem de 44, procedente do Missouri, foram as duas últimas vítimas do surto da gripe.

A vítima mortal, cuja identidade não foi revelada, procedia da reserva indígena Gila River Indian Community, segundo informou o jornal "Arizona Republic", que explicou que o estado de saúde dela era delicado e que morreu devido às complicações pelo vírus.

Esta é a segunda morte registrada no estado do Arizona, no qual foram reportados 488 casos da gripe, e foi ordenado o fechamento de algumas escolas de maneira preventiva.

Já a vítima do Missouri é um homem de 44 anos, cuja identidade também não foi revelada, que foi hospitalizado há algumas semanas após uma viagem ao México.

O CDC já tinha informado de três outras vítimas no estado do Texas, uma delas uma criança de dois anos de origem mexicana, uma no estado de Washington e outra em Nova York.

Por outro lado, o número de contagiados no país aumentou para 5.710 casos em 47 estados e no Distrito de Colúmbia.

Além disso, as autoridades de saúde de Nova York informaram hoje que a morte de um bebê hispânico não foi causada pela gripe, enquanto três escolas nova-iorquinas passaram a fazer parte do conjunto de colégios que fecharam nos últimos dias devido ao alto número de alunos com sintomas da doença.

No total, 80 pessoas morreram no mundo por causa do vírus AH1N1.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE elv/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.