EUA repatriarão 6 iemenitas e 4 afegãos presos em Guantánamo

Washington, 18 dez (EFE).- O Governo dos Estados Unidos prepara a repatriação de seis iemenitas e quatro afegãos confinados na base naval de Guantánamo na ilha de Cuba, informou hoje o jornal The Washington Post, dentro do projeto do presidente Barack Obama de desativar a prisão no início de 2010.

EFE |

"A transferência poderia ser o prenúncio para a libertação de dezenas de iemenitas detidos", acrescentou o jornal que atribuiu a informação a pessoas com "conhecimento independente do assunto".

A suposta libertação "é um primeiro passo significativo para lidar com o maior grupo de detidos na prisão, já que há atualmente 97 iemenitas" na base naval americana em Guantánamo, conforme a publicação.

Os Estados Unidos utilizam Guantánamo desde janeiro de 2002 para encarcerar centenas de pessoas capturadas em diferentes partes do mundo como supostos terroristas.

Desde janeiro de 2002, 15 iemenitas, que o Governo dos EUA não considerou que representassem uma ameaça, foram repatriados, 14 deles durante a gestão de George W. Bush, e o último durante a atual Administração.

Os iemenitas, segundo o jornal, representam 46% dos 216 homens que permanecem detidos em Guantánamo.

Juízes federais americanos ordenaram a libertação de três deles depois de conseguirem habeas corpus.

Na terça-feira passada, Obama ordenou a compra de uma prisão estadual em Illinois que será transformada em centro de detenção para presos federais e alguns dos homens detidos atualmente em Guantánamo.

De acordo com o jornal, a mudança dos seis iemenitas "será vigiada estreitamente e, se for bem-sucedida, poderia levar à libertação de outros iemenitas autorizada por um comitê de várias agências, liderado pelo Departamento de Justiça, que examinou os casos de cada detido em Guantánamo". EFE jab/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG