Washington, 12 jun (EFE).- Os Estados Unidos enviaram dois detidos de Guantánamo ao Iraque e ao Chade, seus países de origem, confirmou hoje o Departamento de Justiça americano.

O iraquiano Jawad Jabber Sadkhan foi repatriado na quarta-feira e o chadiano Mohammed el-Gharani saiu de Guantánamo na quinta-feira, de acordo com um comunicado distribuído hoje à imprensa.

Em 14 de janeiro, um tribunal federal ordenou ao Governo "tomar todos os passos necessários" para tirar Gharani da penitenciária.

O chadiano foi detido no Paquistão em 2001, quando era menor de idade, e entregue às forças americanas.

Os dois receberam o sinal verde para sair de Guantánamo do grupo de trabalho criado pelo presidente americano, Barack Obama, para analisar a situação de todos os detidos, caso a caso, para determinar o que fazer com eles, de modo que a prisão possa ser fechada até o final de janeiro de 2010.

"À medida que nossa revisão avança, o apoio da comunidade internacional é chave para fechar o centro de detenção da baía de Guantánamo e para a segurança de nosso país", disse Matthew Olsen, o chefe desse grupo de trabalho.

Os Estados Unidos enviaram também na quinta-feira quatro muçulmanos chineses detidos em Guantánamo às Bermudas. EFE cma/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.