EUA renovam medida que retira sanções de países latino-americanos

Washington, 16 jan (EFE).- O Governo do presidente em fim de mandato dos Estados Unidos, George W.

EFE |

Bush, renovou hoje uma medida pela qual retira as sanções econômicas contra alguns países latino-americanos por terem aderido ao Tribunal Penal Internacional (TPI) e não eximir de sua jurisdição os americanos em seu território.

A Administração Bush castigou essas nações durante alguns anos com a proibição de receberem Fundos de Apoio Econômico (ESF, na sigla em inglês), que são ajudas americanas a programas de desenvolvimento.

No entanto, após várias críticas, Bush retirou as sanções em 2006 e manteve essa política desde então.

Em um memorando emitido quatro dias antes de deixar a Casa Branca, Bush ordenou que 17 países não sejam penalizados, nove deles da América Latina e do Caribe.

Essas nações são membros do TPI e não aceitaram a demanda dos EUA de assinar um acordo para se comprometer a não enviar àquela Corte americanos em seu território acusados de delitos.

Os países afetados são Barbados, Bolívia, Costa Rica, Chipre, Equador, Quênia, Mali, México, Namíbia, Níger, Paraguai, Peru, Samoa, África do Sul, São Vicente e Granadinas, Tanzânia e Trinidad e Tobago. EFE cma/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG