EUA reitera à Geórgia rejeição a separatismos apoiados pela Rússia

Washington, 23 abr (EFE) - A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, reiterou hoje ao ministro de Assuntos Exteriores da Geórgia, David Bakradze, seu forte respaldo à soberania e à integridade territorial do país perante o apoio aberto da Rússia às as regiões separatistas Abkházia e Ossétia do Sul. Em declarações prévias à sua reunião com Bakradze, a titular do Departamento de Estado expressou novamente a grande preocupação dos Estados Unidos com a recente decisão de Moscou de formalizar a cooperação econômica e jurídica com as regiões separatistas georgianas. Nosso compromisso com a Geórgia e com sua integridade territorial é firme, disse Rice, que enfatizou que não deveria haver nenhuma dúvida sobre essa integridade. A responsável da diplomacia externa dos EUA lembrou que na semana passada transmitiu por telefone a seu colega russo, Serguei Lavrov, o posicionamento do Governo do presidente americano, George W. Bush, sobre a decisão de Moscou.

EFE |

Ela também expressou em outra ligação seu apoio ao presidente georgiano, Mikhail Saakashvili.

Rice também reiterou seu apoio aos "esforços da Geórgia para garantir que os cidadãos da Abkházia e Ossétia do Sul -regiões de maioria étnica russa- se considerem plenamente parte da Geórgia".

A secretária de Estado reiterou o apoio dos EUA à candidatura da Geórgia para uma futura entrada na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), expressa durante a recente cúpula da Aliança em Bucareste.

Bakradze, por sua parte, agradeceu o "claro e incondicional" apoio dos EUA à integridade territorial da Geórgia e destacou que, com este respaldo, "seremos capazes de superar os desafios" do país, incluindo os derivados de um passo "unilateral" por parte da Rússia, que é percebido como "muito perigoso" e "provocativo".

O ministro de Assuntos Exteriores georgiano também ressaltou o interesse do Governo em chegar a uma solução pacífica no conflito territorial.

O Governo do presidente russo, Vladimir Putin, anunciou na semana passada que formalizará a cooperação econômica e jurídica oficial com as autoridades dos dois territórios separatistas e pró-russos.

Putin recomendou ao Governo e às regiões da Rússia "colaborar com os órgãos de poder da Abkházia e Ossétia do Sul e organizar a cooperação econômica e comercial, social, científica e técnica, e nos campos da informação, a cultura e a educação".

A Geórgia qualificou a decisão da Rússia como um "tentativa de anexação" desses territórios.

Os EUA também estão preocupados com a decisão da Rússia de abandonar unilateralmente o regime de sanções impostas à Abkházia em 1996 pela comunidade pós-soviética, porque acredita que gera dúvidas sobre a transparência militar na região e prejudica o processo de paz. EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG