Segundo autoridade do governo, até 1.200 soldados adicionais podem ser enviados à região

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, enviará até 1.200 soldados adicionais à fronteira com o México para colaborar na luta contra o narcotráfico e a imigração ilegal, indicou nesta terça-feira um alto funcionário de seu governo, que não quis se identicar. Obama também vai pedir US$ 500 milhões para a proteção das fronteiras, segundo a autoridade.

Os soldados enviados serão membros da Guarda Nacional, civis que fazem treinamento regulares e podem ser mobilizados para serviços militares ou humanitários. Eles servirão temporariamente, até que agentes e policiais sejam recrutados e treinados especificamente para o trabalho na fronteira.

As tropas se ocuparão de trabalhos de inteligência e vigilância, apoiarão atividades de combate ao tráfico e ajudarão na formação de policiais de fronteira.

A decisão é anunciada conforme cresce a pressão dos Estados americanos que fazem fronteira com o México para que o governo tome providências para combate a imigração ilegal e a violência ligada ao tráfego de drogas.

No Arizona, tanto republicanos como democratas pressionam a Casa Branca a enviar tropas à fronteira, principalmente desde março, quando o rancheiro Rob Krentz foi assassinado num crime ainda não esclarecido.

A deputada democrata Gabrielle Giffords elogiou o reforço das tropas. "Os cidadãos do Arizona sabem que mais soldados significa uma fronteira mais segura. Washington ouviu nossa mensagem", disse ela.

Já o republicano John McCain, que representa o Arizona no Senado, afirmou que a decisão da Casa Branca "não é suficiente" e pediu o envio de seis mil soldados.

Com AFP e BBC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.