EUA recuperam o ouro no basquete masculino

Os Estados Unidos tiveram que suar a camisa, mas acabaram derrotando a Espanha por 118 a 107 na final do basquete masculino e reconquistaram o ouro olímpico e a hegemonia no esporte em Pequim, neste domingo. Na primeira fase, os americanos tinham vencido os espanhóis por 112 a 82, mas quem esperava um novo passeio do redeem team (time da redenção - um trocadilho em inglês com o dream team, que em 1992 pela primeira vez levou jogadores profissionais às Olimpíadas), viu uma Espanha guerreira, liderada por um inspirado Rudy Fernandez, que marcou 22 pontos.

BBC Brasil |

A Espanha chegou a ficar a apenas dois pontos dos americanos no fim da partida, mas os Estados Unidos mostraram todo o seu arsenal ofensivo com pontos decisivos de arremesso livre.

Na disputa pelo bronze, os ex-campeões olímpicos da Argentina garantiram a medalha de consolação ao bater a Lituânia por 87 a 75.

Astros da NBA
Os jogadores Dwyane Wade (com 27 pontos) e Kobe Bryant (com 20) foram decisivos para recuperar os Estados Unidos da "vergonha" do bronze olímpico nos Jogos de Atenas, em 2004, e garantir que o ouro voltasse às mãos da NBA.

A presença de astros como Bryant, LeBron James, Jason Kidd e Wade, na seleção dos Estados Unidos criou, como de costume, um favoritismo para a conquista da medalha de ouro.

Os americanos vinham de dois dos maiores fracassos do basquete do país. Ouro em Sydney, em 2000, os EUA não chegaram à final quatro anos mais tarde, ficando com o bronze.

Mas o maior fiasco aconteceu no Mundial de 2002, disputado nos Estados Unidos, quando os americanos deram adeus à disputa pelo título nas quartas-de-final.

Com o ouro em Pequim, os Estados Unidos recuperam internacionalmente o prestígio da liga considerada a melhor do basquete profissional mundial.

    Leia tudo sobre: basquete

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG