EUA recomendam que Zelaya e Governo interino apostem no diálogo

Washington, 24 jul (EFE).- O secretário-adjunto de Estado americano para a América Latina, Thomas Shannon, disse hoje que o plano do presidente costarriquenho, Óscar Arias, oferece o melhor para Honduras, e, por isso, recomendou ao líder deposto Manuel Zelaya e ao governante interino Roberto Micheletti que o aceitem.

EFE |

Em entrevista após participar de uma sessão do Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA) que foi a última do embaixador dos Estados Unidos, Héctor Morales, Shannon disse que a proposta de Arias "tem todos os elementos para proteger a democracia, a constitucionalidade e os interesses de Honduras".

Por isso, o secretário americano disse que, para ele, Zelaya e Micheletti deveriam aceitar o plano, que, entre outros aspectos, contempla a formação de um Governo de unidade e reconciliação nacional, a antecipação das eleições e uma anistia geral para os crimes políticos.

A proposta inclui também a negativa em reformar a Constituição e a criação de uma missão da verdade, assim como o envio de uma comissão verificadora da OEA.

Shannon, que ainda precisa que o Senado aprove sua nomeação de embaixador no Brasil, reiterou que o Governo do presidente Barack Obama quer ver restabelecida a ordem democrática e constitucional em Honduras e zelar pelo bem-estar do povo hondurenho.

Por isso, afirmou, a melhor solução é uma saída negociada e um acordo que proteja a paz social.

O Governo dos EUA "impulsionou as duas partes usando diferentes medidas de persuasão e de pressão para tentar assegurar que se sentem, conversem e busquem um acordo em torno de um plano que oferece o melhor para Honduras", afirmou. EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG