EUA receberão ex-reféns das Farc que pedirem proteção

Bogotá, 10 jul (EFE) - Os Estados Unidos estão disposto a receber todos os ex-reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) que, por medo de sua segurança, pedirem para viajar ao país, já que ganharam o direito por ter sofrido tanto, informou hoje o embaixador americano na Colômbia, William Brownfield. Ele se referiu aos seqüestrados pelas Farc, principalmente ao caso do ex-senador Luis Eladio Pérez, que foi libertado em fevereiro e que viajou na quarta-feira aos EUA, após denunciar ameaças de morte por parte de rebeldes da guerrilha. O diplomata, que visitou a fábrica colombiana da indústria automobilística General Motors, disse que o país oferecerá segurança ao ex-congressista e a qualquer seqüestrado, porque eles têm direito a esse apoio. Se o ex-senador Pérez decidiu estar nos EUA porque se sente mais seguro, eu não posso lhe negar esse direito, porque ele passou anos e anos na floresta, afirmou o embaixador aos jornalistas. Luis Eladio Pérez foi seqüestrado em 2000 e libertado em 27 de fevereiro graças às gestões humanitárias do presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Nesse mesmo dia foram soltos os também ex-congressistas Gloria Polanco de Lozada, Jorge Eduardo Gechem e Orlando Beltrán, que também estavam em poder das Farc. Eles (os libertados) já pagaram pelo direito de visitar os EUA, insistiu o embaixador, quando perguntado sobre o número de pedidos de proteção de ex-reféns recebidos pela embaixada, e ressaltou que esp...

EFE |

O embaixador lembrou que os EUA pediram na quarta-feira ao Governo da Colômbia a extradição dos guerrilheiros das Farc Gerardo Antonio Aguilar, conhecido como "César", e Alexander Farfán Suárez, conhecido como "Gafas", capturados em 2 de julho durante o resgate de 15 pessoas seqüestradas, entre eles três americanos. EFE gta/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG