Os Estados Unidos ainda não têm a intenção de abrir no Iêmen uma segunda frente na guerra contra o terrorismo, nem de posicionar tropas naquele país, declarou neste domingo John Brennan, conselheiro antiterrorista do presidente Barack Obama.

"Não diria que vamos abrir uma segunda frente", disse Brennan à rede de TV Fox, depois de as autoridades americanas e britânicas terem anunciado o reforço de sua ação contra o terrorismo no Iêmen e na Somália.

"O governo iemenita está mostrando boa vontade no combate à Al-Qaeda, e está propenso a aceitar nossa ajuda. Estamos lhes fornecendo tudo que pedem. Eles melhoraram muito", acrescentou, destacando que a opção de posicionar tropas americanas neste país da península arábica não está sendo cogitada "por enquanto".

No dia do Natal, o nigeriano Umar Faruk Abdulmutallab tentou explodir um avião da Northwest Airlines com quase 300 pessoas a bordo pouco antes do pouso em Detroit (norte dos EUA). Depois de preso, admitiu ter sido treinado e equipado pela rede Al-Qaeda no Iêmen.

"Temos informações confiáveis de que a Al-Qaeda está formando homens no Iêmen", afirmou o conselheiro de Obama.

"Vamos aniquilar a Al-Qaeda, e vamos demonstrar através de nossas ações no Afeganistão, no Paquistão, no Iêmen e em outros lugares que mesmo que os membros da Al-Qaeda consigam fugir, será impossível que se escondam", advertiu.

sab/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.