EUA questionam reeleição de Ahmadinejad

WASHINGTON - O vice-presidente norte-americano, Joe Biden, questionou no domingo a reeleição do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, dizendo que as ações do governo de Teerã contra eleitores da oposição sugerem que os resultados podem não ser claros.

Reuters |

"Diante do jeito como estão reprimindo a liberdade de expressão, como estão reprimindo as multidões, e como as pessoas estão sendo tratadas, a impressão que se tem é que há lugar para dúvidas reais", disse Biden no programa "Meet the Press", da rede de TV NBC, quando perguntado se Ahmadinejad vencera a eleição.

"Tenho dúvidas, mas vamos nos abster de dar declarações enquanto não tivermos uma revisão completa de todo o processo e não vermos como eles reagem depois", disse ele.

Os resultados oficiais da eleição deram quase 63 por cento dos votos a Ahmadinejad e apenas 34 por cento a seu adversário moderado, Mirhossein Mousavi.

"É o que estão anunciando", disse Biden. "Temos que aceitar por enquanto. Mas há muito o que questionar no modo como essa eleição foi realizada."

Mas ele acautelou: "Não dispomos de fatos suficientes para fazer uma avaliação firme."

Mousavi descartou o triunfo de Ahmadinejad, qualificando-o de "farsa perigosa", e distúrbios irromperam em Teerã e outras cidades, em manifestações de insatisfação política.

A reeleição de Ahmadinejad pode criar mais desafios às esperanças do presidente norte-americano, Barack Obama, de iniciar um diálogo com o Irã e seu gesto de mão estendida ao mundo muçulmano.

Sob o governo de Ahmadinejad, o Irã desafiou as tentativas dos EUA e seus aliados de fazê-lo suspender seu programa nuclear, que o Ocidente afirma ser um esforço do governo de Teerã para desenvolver armas nucleares. O Irã nega a acusação e diz que o programa visa a produção de energia nuclear.

Após a eleição, milhares de partidários de Mousavi foram às ruas da capital, gritando slogans antigoverno e desafiando a tropa de choque policial.

A polícia já deteve mais de 100 reformistas no domingo, incluindo o irmão do ex-presidente Mohammad Khatami, um líder reformista. Um representante da polícia confirmou algumas detenções.

Ao expressar suas dúvidas, Biden citou especificamente a contagem de votos nas cidades iranianas, que, segundo ele, respondem por 70% dos votos do país, mas sugeriu que não se previa que os eleitores urbanos comparecessem às urnas em massa para votar em Ahmadinejad.

"A ideia de que ele pudesse receber 68 por cento dos votos, ou seja o que for, em circunstâncias como essas, parece improvável", disse o vice-presidente dos EUA.

Leia também:

Leia mais sobre: Irã

    Leia tudo sobre: iraira!irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG