Berlim, 7 fev (EFE).- Os Estados Unidos querem tirar do Exército da Alemanha o comando da operação militar no norte do Afeganistão por considerar que é lento demais na tomada de decisões.

Segundo publicam hoje os jornais alemães "Stuttgarter Nachrichten" e "Koelnische Rundschau", que citam pessoas de dentro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), a ideia é do comandante-em-chefe da força internacional no Afeganistão, o general americano Stanley McChrystal.

Como todas as decisões relativas a operações militares têm que ser tomadas pelo Parlamento em Berlim e a missão no Afeganistão conta com pouco apoio da população, toda ação do Exército alemão é, de acordo com os EUA, mais devagar do que deveria.

Ainda de acordo com os jornais, por essa razão McChrystal não quer perder mais tempo e pretende transferir o controle das tropas para os EUA.

Na próxima semana, o Parlamento alemão debaterá a ampliação do número de soldados no norte do Afeganistão de 4.500 para 5.350. Os EUA possuem atualmente cinco mil militares na mesma região.

Os diários dizem ainda que, segundo um alto membro da Otan, um general americano nunca aceitará ordens de outro país e que os EUA devem preservar o comando tático de suas operações. EFE ih/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.