EUA querem que Argentina chegue a acordo com o Clube de Paris

Buenos Aires, 10 abr (EFE) - O subsecretário para Assuntos Hemisféricos dos Estados Unidos, Tom Shannon, ratificou hoje em Buenos Aires o interesse de seu país em melhorar suas relações com a Venezuela e em que a Argentina chegue a um acordo com o Clube de Paris.

EFE |

Após se reunir por mais de uma hora com a presidente argentina, Cristina Fernández, a principal interlocutora da Casa Branca com a América Latina disse em entrevista coletiva que esses foram dois dos assuntos tratados no encontro.

"Falamos de assuntos regionais e nesse marco de nosso interesse em melhorar as relações entre Estados Unidos e Venezuela, que é nosso objetivo neste momento", assegurou Shannon, que respondeu a apenas seis perguntas.

O funcionário americano, que iniciou hoje uma visita de 48 horas à Argentina, reiterou que Washington tem "especial interesse" em que Buenos Aires chegue a um acordo com o Clube de Paris, com o qual o país sul-americano tem pendente negociações para refinanciar dívidas de US$ 6,2 bilhões.

O subsecretário americano disse que sua visita à Argentina tem como objetivo "consolidar as relações bilaterais" e "buscar mecanismos para aprofundar o diálogo".

"Os Estados Unidos sabem que, para ficar bem com a América Latina, têm que ficar bem com a Argentina", afirmou.

Nesse sentido, indicou que na sexta-feira, quando voltar a se reunir com o chanceler argentino, Jorge Taiana, ambos os países vão "reavivar um processo de diálogo ao mais alto nível iniciado na década de 1990".

Fontes oficiais argentinas asseguraram à Agência Efe que os dois países querem avançar em um mecanismo de consultas do qual participem funcionários de alta categoria, a fim de coordenar estratégias.

O plano é que estes funcionários tenham uma reunião a cada seis meses e mantenham consultas imediatamente nos casos os quais as partes considerem necessário discutir, apontaram.

Antes de se reunir com a chefe do Estado, Tom Shannon almoçou na Casa Rosada, sede do Governo, com o chefe do Gabinete, Alberto Fernández, junto ao embaixador dos Estados Unidos em Buenos Aires, Earl Wayne, e ao da Argentina em Washington, Héctor Timerman.

Depois, se encontrou com Taiana, com quem repassou assuntos de interesse regional e começou a delinear o mecanismo de consultas de alto nível para dinamizar as relações, segundo um comunicado divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores argentino.

Na sexta-feira, Shannon voltará à Chancelaria argentina para se encontrar novamente com Taiana em reunião de trabalho e, posteriormente, o ministro argentino oferecerá um almoço em sua homenagem.

Mais tarde, o funcionário americano deve se reunir com jovens argentinos e de seu país na sede da Biblioteca Nacional. EFE cw/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG