EUA querem criar comando militar para combater pirataria na informática

O governo americano quer criar um novo comando militar para combater a pirataria na informática, revelou nesta quarta-feira à AFP um alto funcionário do Pentágono.

AFP |

Esta iniciativa, que será anunciada oficialmente nas próximas semanas, integrará uma série de medidas estudadas pela Casa Branca para melhorar a "cibersegurança" dos Estados Unidos, explicou o responsável.

Este "cibercomando" seria subordinado ao Comando Estratégico Americano (Stratcom), que já dirige os esforços dos Pentágono para preservar a integridade das redes informáticas militares, destacou.

O anúncio acontece em meio ao aumento do número de ataques às redes americanas perpetrados por talentosos "hackers", em maioria chineses e russos.

Segundo um relatório recente do Pentágono, a guerra cibernética é uma das prioridades de Pequim, e muitas das intrusões nas redes de computadores dos governos americano e de outros países "parecem ser procedentes" da China.

"O número de tentativas de intrusão foi multiplicado por dois recentemente", afirmou terça-feira um porta-voz do Pentágono. O departamento da Defesa americano gastou mais de 100 milhões de dólares nos seis últimos meses para consertar os danos provocados pelos ataques de piratas.

De acordo com o Wall Street Journal, hackers conseguiram entrar no programa de armamento mais caro do Pentágono, o projeto de caças F-35. No entanto, não conseguiram acessar nenhuma informação secreta.

Segundo o jornal, hackers chineses e russos invadiram a rede elétrica americana diversas vezes no ano passado.

O secretário americano da Defesa, Robert Gates, recomendou recentemente formar 250 "ciberespecialistas" por ano, em vez dos 80 atuais.

ddl/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG