Washington, 2 set (EFE).- Os Estados Unidos afirmaram hoje que querem ter uma boa relação com a Venezuela, sobretudo na luta contra a produção e a distribuição de drogas, mas afirmaram que, em contrapartida, precisam ver algumas ações do Governo desse país.

"Queremos ter uma boa relação com a Venezuela. Da nossa perspectiva, certamente só ficam no caminho as ações que a Venezuela tomou", afirmou hoje o porta-voz do Departamento de Estado, Sean McCormack.

O Governo americano reagiu assim à recente recusa, por parte do presidente venezuelano, Hugo Chávez, em receber o titular da política antidrogas dos EUA, John Walters, e também à advertência dada ao embaixador americano em Caracas, Patrick Duddy, de que poderia ser expulso se não parar de intervir em assuntos internos.

"Na área da luta contra a produção e a distribuição de drogas, certamente queremos uma boa relação com a Venezuela", disse McCormack em sua entrevista coletiva diária.

O porta-voz se referiu às "frustrações" expressadas pelo "czar" antidroga americano sobre a falta de colaboração do Governo venezuelano.

"Estas frustrações se baseiam em fatos. Não se pode mudar os fatos", destacou McCormack.

Por isso, as autoridades americanas, incluindo Duddy, "permanecerão falando sobre o estado das relações entre os EUA e a Venezuela", afirmou.

O Governo americano continuará "falando, a partir de uma perspectiva crítica, sobre o que percebemos que está acontecendo na Venezuela", acrescentou o porta-voz, segundo quem isso "não impede a possibilidade de (as duas nações) poderem ter uma relação melhor".

"Estamos preparados para (ter) uma relação melhor. No entanto, precisamos ver algumas ações por parte do Governo Venezuelano", concluiu McCormack. EFE cai/bm/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.