EUA querem ajudar a solucionar conflito do Saara Ocidental

A secretária de Estado americana, Condoleeza Rice, afirmou neste domingo que os Estados Unidos têm vontade de colaborar na solução do conflito no Saara Ocidental, ex-colônia espanhola alvo de disputa entre o Marrocos e os separatistas do Frente Polisario apoiados por Argel.

AFP |

"Já é hora de acabar com este conflito", declarou Rice em Rabat em entrevista à imprensa junto com seu colega marroquino, Taieb Fas-Fihri.

"Teremos novas negociações. Vamos apoiá-las. Há boas idéias sobre a mesa e há como avançar", acrescentou.

Na véspera da visita de Rice, o porta-voz do governo marroquino, Jalid Naciri, havia expressado o desejo de que Washington "contribua para tirar este assunto do impasse no qual se encontra".

"Não temos que começar do zero", afirmou a chefe da diplomacia dos EUA.

O conflito do Saara ocidental, situado ao sul do Marrocos, afeta as relações entre Rabat e Argel assim como o processo de integração da União do Magrebe Árabe (UMA), cujas atividades estão paralisadas há vários anos.

O chanceler marroquino afirmou que seu governo espera que as relações entre Marrocos e Argélia, países irmãos, se normalizem e que a União do Magrebe se concretize.

Ele também agradeceu Rice por sua "decisão de reunir os chefes da diplomacia dos países da região, paralelamente à próxima assembléia geral da ONU".

Rice, por sua vez, destacou que quer buscar os meios para ajudar os países da região a adotar "uma posição mais unida diante dos desafios que enfrentam".

Marrocos e o Frente Polisario realizaram quatro séries de negociações em Manhasset, perto de Nova York, sem conseguir nenhum avanço e devem voltar a se reunir em data ainda não definida.

Marrocos propõe outorgar uma ampla autonomia ao território sob sua soberania, mas o Frente Polisario reivindica a organização de um referendo de autodeterminação sobre sua independência.

Durante sua visita a Rabat, como na véspera em Argel, Rice conversou também sobre a luta contra o terrorismo com seus interlocutores.

Sábado, ela se reuniu com o primeiro-ministro, Abas El Fasi, o ministro do Interior Chakib Benmusa, e o chefe da inteligência militar Yasin Mansuri.

"É importante que Rabat e Argel troquem informação pelos desafios que precisam enfrentar", declarou.

Em Argel, Rice falou sábado com o presidente argelino, Abdelaziz Buteflika, sobre seu grande interesse na luta contra o terrorismo e a cooperação neste sentido, segundo declarou aos jornalistas.

A Argélia é alvo há muitos anos de atentados sangrentos do Grupo Salafita para a Predicação e o Combate (GSPC), que agora é o braço da Al-Qaeda no Magrebe Islâmico.

Rice, que também visitou a Líbia, na sexta-feira, partiu de Rabat neste domingo de volta para Washington.

sl-mc-aff/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG