DAMASCO - Os Estados Unidos querem a ajuda da Síria na definição de um acordo entre Israel e os palestinos, disse no domingo o enviado norte-americano George Mitchell.

Mitchell, enviado especial dos EUA para o Oriente Médio, disse após se encontrar com o presidente Bashar al-Assad que o reinício das negociações entre a Síria, que apoia o grupo palestino Hamas, e Israel é um "objetivo de curto prazo" para Washington.

"Para termos sucesso, precisaremos que árabes e israelenses trabalhem conosco para conseguirmos uma paz abrangente. Vamos saudar a cooperação total do governo da República Árabe da Síria nesse esforço histórico", disse ele.

As negociações indiretas entre a Síria e Israel, que estavam sendo mediadas pela Turquia, foram suspensas durante a ofensiva israelense à Faixa de Gaza em dezembro. A Turquia disse neste mês que está pronta para retomar a mediação dessas discussões.

As discussões de paz entre Israel e palestinos -- que conta com o apoio do quarteto internacional de mediadores composto por União Européia, Estados Unidos, Organização das Nações Unidas e Rússia -- também estão congeladas.

Mitchell, que está em uma viagem regional que inclui Israel, descreveu sua reunião com Assad como "bastante cândida e positiva", mas não explicou o que os EUA esperam da Síria, especialmente em relação ao Hamas.

O grupo islâmico, que tem controlado Gaza desde que derrotou as forças leais ao presidente palestino Mahmoud Abbas em 2007, é contra as tentativas de paz de Abbas com Israel.

Leia mais sobre: EUA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.