EUA querem acelerar extradição do "Mercador da Morte"

Caso não seja extraditado em 90 dias, Viktor Bout será libertado

EFE |

Bangcoc - As autoridades americanas pediram à Tailândia que retire as acusações de fraude e lavagem de dinheiro contra o suposto traficante de armas russo Viktor Bout, de 43 anos, para acelerar sua extradição, informa nesta terça-feira a imprensa tailandesa.

O porta-voz do Departamento tailandês de Justiça, Sitthisak Wanachakij, reconheceu que as acusações, apresentadas pelos EUA em fevereiro, poderiam atrasar o processo, segundo o jornal "Bangcoc Post". O Tribunal de Apelações da Tailândia determinou a extradição de Bout (conhecido como 'Mercador da Morte') aos EUA no último dia 20, e determinou um prazo de 90 dias para realizar a transferência, que, caso não aconteça, fará com que ele fique em liberdade.

Os serviços de inteligência britânicos e americanos afirmam que Bout dirigiu durante anos uma das maiores redes privadas de contrabando de armas e negociou com regimes sanguinários na África e Ásia, como os dirigidos pelos talibãs e pelo ditador liberiano Charles Taylor. O Departamento de Justiça dos EUA procura Bout por terrorismo e o acusa de participação em operações de venda de armas às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

    Leia tudo sobre: iGtráfico de armaseuatailândiao senhor das armas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG