EUA proíbem acesso a seu território a membros de Governo golpista mauritano

Nuakchott, 17 out (EFE).- Os Estados Unidos proibiram o acesso a seu território a alguns membros do Alto Conselho de Estado e do Governo mauritano como medida de protesto contra o golpe de Estado de agosto, informou hoje a embaixada americana em Nuakchott.

EFE |

A restrição, a primeira deste tipo que sobre a Mauritânia por parte de outro país, se aplica também a outros altos funcionários "que sustentam políticas ou ações que comprometem o retorno da Mauritânia à normalidade constitucional", disse o comunicado divulgado pela embaixada em Nuakchott.

Em uma videoconferência com jornalistas mauritanos de Washington, o embaixador americano na Mauritânia, Mark Boulware, disse que esta medida "é apenas um primeiro passo" nas sanções que seu país prevê impor ao regime militar mauritano para exigir o restabelecimento do ex-presidente Sidi Mohammed Ould Cheikh Abdallahi.

O comunicado afirma que "os Estados Unidos apóiam firmemente os esforços da União Africana (UA) e reitera sua chamada à libertação incondicional do presidente Abdallahi e ao restabelecimento imediato da ordem constitucional na Mauritânia".

"A população mauritana - acrescenta a nota - tem o direito de aproveitar a democracia, pela qual trabalhou duro, assim como a segurança e o desenvolvimento, que não só podem ser obtidas com a democracia". EFE mo/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG