EUA procuram ativista que teria sido detido na Coreia do Norte

Washington, 28 dez (EFE).- O Governo dos Estados Unidos expressou hoje sua preocupação com os relatos de que um ativista de direitos humanos americano teria sido detido na Coreia do Norte, onde aparentemente passou o Natal.

EFE |

Robert Park, de 28 anos, passou da China para a Coreia do Norte pelo rio Tumen, congelado nesta época do ano, segundo amigos que gravaram a travessia não autorizada em vídeo.

Porém, o porta-voz do Departamento de Estado americano, Ian Kelly, disse que as autoridades americanas não puderam confirmar de forma independente que Park, um cidadão americano de origem coreana, chegou à Coreia do Norte, e desconhecem seu paradeiro.

O Governo da Suécia, que representa os EUA na Coreia do Norte diante da falta de relações diplomáticas, se ofereceu para colaborar na investigação do paradeiro de Park, que mora na cidade americana de Tucson, disse o porta-voz.

Os amigos que viajavam com Park explicaram que ele levava uma carta dirigida ao presidente Kim Jong-il, na qual pede a libertação de todos os prisioneiros políticos e melhorias na situação dos direitos humanos na Coreia do Norte.

As autoridades de Pyongyang não fizeram comentários públicos sobre a suposta travessia ilegal de Park.

Duas jornalistas americanas passaram quatro meses presas na Coreia do Norte depois de terem entrado ilegalmente no país em março passado, mas foram libertadas em agosto após a intervenção pessoal do ex-presidente dos EUA Bill Clinton. EFE mp/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG