EUA pressionam Israel por solução de dois Estados

WASHINGTON (Reuters) - O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pressionou Israel nesta terça-feira a apoiar uma solução de dois Estados para o conflito Israel-Palestina em um discurso ao principal grupo de lobby pró-Israel dos EUA. O novo governo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, de inclinação direitista, tem até agora evitado apoiar publicamente o Estado Palestino, uma omissão que tem desanimado as autoridades norte-americanas, árabes e europeias.

Reuters |

Biden, discursando em uma conferência do Comitê Americano-Israelense de Atividades Políticas (Aipac), disse que os palestinos devem parar com a violência militante e Israel "deve trabalhar para uma solução de dois Estados... não construir mais colônias, deve destruir os postos militares existentes e permitir o movimento livre de palestinos."

Os comentários de Biden ocorreram antes de um encontro entre o presidente de Israel, Shimon Peres, e o presidente norte-americano, Barack Obama, ainda nesta terça-feira, e a menos de duas semanas antes da visita de Netanyahu à Casa Branca.

Em um discurso na segunda-feira, Netanyahu disse que estava pronto para iniciar imediatamente os diálogos de paz entre Israel e os palestinos, mas não fez qualquer menção ao Estado Palestino.

Obama deixou claro seu próprio comprometimento à solução de dois Estados, que tem sido a base da política norte-americana no conflito do Oriente Médio, e cutucou Netanyahu a aceitar a formação do Estado palestino ao lado de Israel.

(Reportagem de David Alexander)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG