EUA prendem diretor de comitê do governo iraquiano

BAGDÁ (Reuters) - Forças dos EUA prenderam um iraquiano que é gerente-geral do comitê criado pelos próprios norte-americanos para expurgar seguidores de Saddam Hussein do governo local. Ele é acusado de liderar uma milícia responsável por um sangrento atentado. Ali Al Lami foi detido na quarta-feira, disse na quinta o diretor da comissão, instituída a partir de 2003 pelo então administrador norte-americano Paul Bremer para retirar membros do Partido Baath do governo local.

Reuters |

Em nota, os militares dos EUA disseram ter prendido no aeroporto de Bagdá um homem suspeito de planejar um atentado a bomba ocorrido em junho na favela de Sadr City, que matou dez pessoas, inclusive dois militares e dois civis norte-americanos.

Em nota, Ahmed Al Chelabi, presidente do chamado Comitê de Desbaathificação, disse que Al Lami foi detido quando voltava do Líbano com a família. 'Condenamos fortemente esta operação contra um dos funcionários mais graduados da comissão, que vinha fazendo um bom trabalho'.

Os EUA não identificaram o homem preso no aeroporto, qualificando-o apenas como um 'criminoso de grupos especiais', jargão que designa milícias xiitas.

'As forças da coalizão capturaram um homem suspeito de trabalhar com os mais altos escalões dos criminosos de grupos especiais', disse o major John Hall, porta-voz militar.

'Fontes de inteligência implicaram o homem capturado com múltiplos atos criminais, inclusive bombas e ataques contra alvos iraquianos -- especificamente a explosão de 24 de junho no Conselho Consultivo do Distrito de Sadr City'.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG