EUA: polícia frustra tentativa de queima do Alcorão em Gainesvill

Engenheiro que pretendia dar apoio a pastor Terry Jones pretendia queimar 200 livros sagrados do Islã

AFP |

Uma pessoa que tentou fazer uma queima "simbólica" do Alcorão, em frente à igreja evangélica que convocou neste sábado um frustrado ato de queimar 200 livros sagrados do Islã, não conseguiu concluir o ato e informou que a polícia local tomou o exemplar.

Sebastián Bagby, um engenheiro químico que viajou de Atlanta para dar seu apoio à igreja evangélica Dove World Outreach Center e a seu pastor, Terry Jones, pretendia realizar a queima que qualificou de "simbólica" quando a polícia apresentou-se e tomou do homem o Alcorão e o isqueiro, disse.

"Quero que me devolvam o Alcorão e o isqueiro", queixou-se enquanto a polícia não admitia ter levado os objetos.

"Queria fazer uma queima simbólica do Alcorão", completou.

Uma passeata com uma centena de estudantes e moradores de Gainesville foi realizada em frente à controversa igreja para rejeitar a proposta que o pastor tinha anunciado para as 18h00 locais (19h00 de Brasília), e que foi cancelada.

Jones, da igreja Dove World Outreach Center, em Gainesville, convocou a queima de 200 exemplares do Alcorão em frente a seu templo, no aniversário dos atentados de 11 de setembro de 2001, mas desistiu da ideia que desatou uma onda de reações em todo o mundo e protestos em vários países muçulmanos.

    Leia tudo sobre: 11 de setembroqueima do alcorão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG