A polícia americana tentava neste sábado reunir as peças do quebra-cabeça para descobrir o que levou um imigrante asiático a matar 13 pessoas e a cometer suicídio na véspera, em um centro de ajuda a estrangeiros na pacata cidade de Binghampton, no nordeste dos Estados Unidos.

Desempregado e com dificuldades para falar inglês, Jiverly Wong, um imigrante vietnamita de mais de 40 anos, bloqueou a porta da Associação Cívica Americana (ACA) com um carro, antes de disparar contra os alunos que assistiam a uma aula de inglês, segundo o chefe da polícia local, Joseph Zikuski.

O atirador vivia com a mãe em Johnson City, cidade próxima a Binghampton, e supostamente aprendia inglês na ACA.

"Acreditamos que o senhor Wong estava abalado por ter perdido o emprego. Que não era estranho à Associação Cívica Americana. Provavelmente, aprendia inglês ali", disse neste sábado o prefeito de Binghamton, Matthew Ryan.

"Seu inglês não era muito bom e penso que as outras pessoas o tratavam com desprezo. Obviamente, era um indivíduo muito perturbado, a ponto de chegar aqui ontem" e cometer o massacre. "Isto é tudo que sabemos no momento".

Segundo a rede de televisão CNN, Wong trabalhou na empresa de alta tecnologia Endicott Interconnect, que produz chips para equipamentos médicos, onde ensinou trabalhadores mais jovens.

De acordo com a CNN, Wong também trabalhou em uma empresa especializada na limpeza de equipamentos industriais, e era descrito como um homem tranquilo.

Esta foi a maior matança nos Estados Unidos desde o ataque à Virigina Tech (Virgínia, leste), no dia 16 de abril de 2007, quando um estudante de origem coreana assassinou 32 pessoas antes de cometer suicídio.

Em 10 de março passado, um homem matou dez pessoas, entre elas sua própria mãe, em três cidades do Alabama, antes de se suicidar.

Na semana passada, um homem fortemente armado assassinou oito pessoas em um asilo da Carolina do Norte (sudeste), e seis pessoas foram mortas a tiros em uma casa de um bairro de classe alta do Silicon Valley, na Califórnia (oeste).

Em um dos episódios mais chocantes desta série, na noite de 24 de dezembro de 2008, um homem fantasiado de Papai Noel invadiu uma casa onde estava reunida a família de sua ex-mulher, na Califórnia, e abriu fogo, matando nove pessoas antes de se suicidar.

ltl/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.