EUA podem mudar julgamento de suspeitos do 11 de Setembro

Washington, 5 jun (EFE).- O Governo dos Estados Unidos estuda a possibilidade de mudar o processo das comissões militares de Guantánamo, o que permitiria que detidos que enfrentam a pena de morte se declarassem culpados sem a necessidade de um julgamento, informou hoje o diário The New York Times.

EFE |

Em artigo em seu site, o jornal disse que o projeto possibilitaria que os promotores militares não divulgassem detalhes das técnicas de interrogatório aplicadas durante o Governo George W.

Bush, muitas delas consideradas tortura.

A mudança também permitiria que cinco detidos acusados de participar dos ataques de 11 de Setembro cumpram seu desejo de se declarar culpados, mas sem se declarar mártires, indicou o jornal.

O "New York Times" informou que a proposta faz parte de um projeto de lei que seria apresentado ao Congresso e que não foi divulgado ao público.

O jornal acrescentou que circulou somente entre alguns funcionários, e foi apresentado ao secretário de Defesa, Robert Gates.

O "New York Times" indicou que a proposta aliviaria a difícil tarefa do Governo de processar indivíduos que se declararam terroristas, mas cujos casos apresentam um desafio jurídico.

Grande parte das provas que existem contra os acusados do 11 de Setembro teria sido obtida em confissões feitas durante interrogatórios em prisões secretas da Agência Central de Inteligência (CIA), assinalou.

Acrescentou que essas confissões seriam colocadas em dúvida, o que dificultaria os processos e colocaria novas pressões políticas relativas ao tratamento dado aos detidos, assegura o "New York Times". EFE ojl/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG